Ver e Refletir

segunda 11 abril 2011 10:34


A Escola Inclusiva é Espaço de Construção de Cidadania

A família é o primeiro espaço social da criança, no qual ela constrói referencias e valores e a comunidade é o espaço mais amplo, onde novas referencias e os valores se desenvolvem. A participação da família e da comunidade traz para a escola, informações críticas, sugestões, solicitações, desvelando necessidades e sinalizando rumos.

Este processo significa os agentes e a pratica educacional, aproximando a escola da realidade social na qual seus alunos vivem.

A escola é um dos principais espaços de convivência social do ser humano, durante a primeira fase do seu desenvolvimento. Ela tem o papel primordial no desenvolvimento da consciência da cidadania e de direitos, já que é na escola que a criança e o adolescente começam a conviver num coletivo diversificado, fora do contexto familiar.

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: A FUNDAMENTAÇÃO FILOSÓFICA

Blog de inclusaoeradigital :Educação Inclusiva na Era Digital, A Escola Inclusiva é Espaço de Construção de Cidadania

segunda 11 abril 2011 10:20


O ser cada vez mais visível e eficiente

Blog de inclusaoeradigital : Educação Inclusiva na Era Digital, O ser cada vez mais visível e eficiente

Atualmente já é consenso de que as escolas precisam acomodar todas as crianças independentemente de suas condições físicas, intelectuais, sociais, emocionais, lingüísticas ou outras. No entanto, esse princípio ainda não se concretizou; basta observarmos as estatísticas educacionais, as barreiras arquitetônicas, o acesso físico das escolas, a formação dos professores etc. para vermos que ainda estamos longe de termos uma escola verdadeiramente inclusiva; que potencializa um movimento de transformação da realidade para se conseguir reverter o percurso de exclusão de crianças, jovens e adultos com ou sem deficiência no sistema educacional.

Em se tratando das escolas da rede de ensino do meu município, poderíamos até afirmar de que quase não temos alunos portadores de necessidades especiais no município; no entanto, essas pessoas podem não estarem na escola, pois são vítimas constantes de preconceitos, e com isso muitos ficam em casa, impossibilitados de sair devido à falta de acessibilidade; o que há, neste caso, é uma invisibilidade destas pessoas.

Contrapondo a isto, é preciso garantir o cumprimento da legislação que trata da política de inclusão escolar das pessoas com deficiências. A sociedade precisa se mobilizar para a garantia da efetivação desta política; precisamos ter professores com formação adequada para trabalhar com a diversidade; escolas com acessibilidade; utilização de recursos específicos que atendam às necessidades específicas de cada deficiência - sempre respeitando a individualidade do aluno.

Precisamos romper com todas as barreiras que dificultam a efetivação de uma política de inclusão na escola. Conforme vimos nos materiais sugeridos, a inclusão deve vir impregnada de uma mudança de atitude, o respeito ao outro, que acima de tudo é um indivíduo, um cidadão.

Blog do Gin, postado por José Ginvaldo Abreu de Araújo às 15:47 , segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010.

segunda 11 abril 2011 06:45


Comunicação Facilitada

"Menino autista estabelece comunicação através do computador".

"Obritânico Jamie Ponsonby não consegue falar e durante anos permanece preso em seu próprio mundo. Sua família, porém, o ensinou a usar o teclado do computador à partir dos 9 anos de idade e hoje em dia o garoto de 13 anos, que sofre de autismo, consegue não apenas se expressar como também escrever poemas. "Nós não tínhamos idéia de que havia uma pessoa lá dentro que sabia tudo", diz a mãe. "Por meio da digitação nós descobrimos que ele sabe todo tipo de coisa. Ele está totalmente ciente de tudo, seu senso de humor está totalmente ali. Ele tem uma poesia linda, seus sentimentos e emoções são todos perfeitamente normais e acima da média para sua idade", explica Serena a mãe de Jamie.

O diretor de pesquisas da entidade beneficente Research Autism, Richard Mills, disse que os casos como o de Jamie são relativamente raros. Ele disse que a técnica usada pelos pais de Jamie para ajudá-lo a se comunicar -conhecida como comunicação facilitada- apesar de polêmica, tem mostrado bons resultados. A comunicação facilitada consiste em apoiar a mão, o pulso ou o braço de uma pessoa com deficiência comunicativa, enquanto esta usa um teclado ou outro aparelho para formar frases. "Nós sabemos que pessoas com autismo muitas vezes precisam de muito tempo de processamento. Eles precisam que as coisas sejam visuais, então palavras digitadas em um teclado tendem a funcionar melhor (do que outras formas de comunicação, como o uso da fala por exemplo)".

A mãe relata que após ler um livro sobre alguém que achava mais fácil digitar, apesar dela saber falar, achou que poderia ser um caminho diferente. "Começamos a estimulá-lo digitar as palavras que ele sabia usar com sinais e fizemos progressos bem, bem lentos. Nós muitas vezes pensamos em desistir" "Depois de alguns anos ele começou a ler placas e vimos que ele conseguia ler. Começamos a fazer perguntas e ele digitava todo tipo de coisa que nem sabíamos que ele conhecia", disse Serena. Apesar do sucesso descrito pela família, a técnica da comunicação facilitada é citada por cientistas que questionam o grau de interferência dos responsáveis no momento de comunicação pelo teclado."

Cérebro.com Postado por Maria Silvia às 13:24

Blog de inclusaoeradigital :Educação Inclusiva na Era Digital, Comunicação Facilitada

segunda 11 abril 2011 06:19


Um apelo necessário...

sexta 08 abril 2011 05:17


|

Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para inclusaoeradigital

Precisa estar conectado para adicionar inclusaoeradigital para os seus amigos

 
Criar um blog